Atenção Básica: após mobilização médica, Prefeitura de Fortaleza apresenta resultados aos pleitos dia 29 de agosto

Atenção Básica: após mobilização médica, Prefeitura de Fortaleza apresenta resultados aos pleitos dia 29 de agosto

Está agendada para o dia 29 de agosto (terça-feira), às 8h, no auditório do Sindicato dos Médicos, na capital cearense, nova reunião sobre Atenção Primária à Saúde em Fortaleza. Na oportunidade, representantes da Prefeitura Municipal devem apresentar o resultado aos pleitos solicitados nesta terça-feira (18), durante manhã de mobilização médica em defesa de melhores condições de trabalho e do cumprimento das estratégias essenciais nesta área.

Atendendo convocação do Sindicato, os médicos que atuam na Atenção Primária em Fortaleza fizeram-se presentes ao encontro e destacaram o desvirtuamento das funções primordiais para as quais o Programa Saúde da Família (PSF) foi criado, a falta de medicamentos e de oxigênio nas unidades, bem como o assédio moral, como os principais problemas enfrentados na rotina de trabalho.

Tais reivindicações foram feitas ao coordenador da Atenção Primária de Saúde do Município, Dr. Rui de Gouveia, e à coordenadora especial da Coordenadoria de Hospitais e Unidades Especializadas, Dra. Ana Estela Fernandes Leite, que participaram da reunião como representantes da gestão municipal.

“Reivindicamos um calendário, que haja um prazo estabelecido para que se façam essas melhorias esperadas e é o que estamos aguardando que a Prefeitura apresente no dia 29 de agosto, após a posse dos novos coordenadores da Atenção Primária de Saúde do Município”, afirmou a presidente do Sindicato, Dra. Mayra Pinheiro.

Em pauta

A proposta de reajuste salarial e reposição das perdas da categoria também foi pauta da mobilização. O assunto foi levado diretamente ao Prefeito de Fortaleza, em reunião no dia 06 de junho. Na oportunidade, este também assegurou, para agosto, a participação do Sindicato em nova rodada de negociações.

Outro assunto em debate foi a violência sofrida por médicos durante o exercício profissional, que gerou o lançamento da campanha “Saúde Precisa de Segurança” em julho de 2016 e a solicitação, ao Secretário Estadual de Segurança, de inclusão de unidades de saúde no Pacto por um Ceará Pacífico. Na ocasião, os profissionais foram orientados a registrar Boletim de Ocorrência (B.O) policial e notificar o Sindicato sobre os casos.

Confira imagens: 

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará

Close