Atendendo entidades médicas, criação de cursos de Medicina é suspensa por cinco anos

Atendendo entidades médicas, criação de cursos de Medicina é suspensa por cinco anos

Atendendo reivindicação feita por entidades médicas, incluindo o Sindicato dos Médicos do Ceará, o Ministério da Educação anunciou, nesta quinta-feira (5), a suspensão da criação de cursos de Medicina no País por cinco anos. Cursos que já estão em andamento também estão proibidos de aumentar o número de vagas. Segundo o ministro da Educação, Mendonça Filho, a medida, que vale tanto para escolas públicas quanto particulares, deve ser publicada em duas portarias nessa sexta-feira (6).

Leia ainda: GOVERNO FEDERAL VAI SUSPENDER A ABERTURA DE NOVOS CURSOS DE MEDICINA, DIZ MEC

DESENFREADO NÚMERO DE ESCOLAS MÉDICAS COLOCA EM RISCO FORMAÇÃO DE QUALIDADE

Para as entidades médicas, o expressivo aumento das vagas de cursos de medicina, sobretudo depois da Lei dos Mais Médicos, põe em risco a qualidade do ensino, pois não há infraestrutura compatível e corpo docente com formação adequada para atender toda a demanda.

As entidades também esperam para amanhã a regulamentação de certificação de cursos de medicina por um grupo de trabalho encarregado de fazer a avaliação de escolas que atualmente estão em funcionamento. A proposta defendida é que uma comissão externa, integrada por representantes do MEC, entidades médicas e professores, fique encarregada de estabelecer critérios mínimos de estrutura para cursos de Medicina que já estão abertos.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará, com informações do Estadão

Close