Sindicato repudia redução de repasse às UPAs e aciona órgãos competentes

Nota

O Sindicato dos Médicos do Ceará repudia a determinação do Município de Fortaleza em reduzir o contrato de repasse financeiro ao Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH) para a gestão das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). A modificação proposta, e já em trâmite, ocasionará impacto negativo no atendimento à população, através da diminuição expressiva do corpo clínico e de servidores das referidas unidades, além de realocação e mudança na dinâmica de trabalho dos profissionais.

Leia ainda: Sindicato aciona CREMEC para resolução de problemas relatados por médicos de UPAs

Médicos trabalham com remunerações atrasadas, em meio à superlotação e caos na UPA de Caucaia

Sindicato emite nota à sociedade sobre anúncio de redução do número mínimo de médicos nas UPAS

Após promessa da Prefeitura, médicos de UPAs cancelam manifestações

Sindicato emite nota de repúdio à gestão da UPA de Canindé

Através de sua Diretoria, o Sindicato lamenta tal conduta da gestão municipal, por acreditar que o empenho verdadeiro dos entes públicos deve ser na assistência plena e integral à população, ampliando os repasses, estruturas e valorizando os profissionais da Saúde em todas as suas esferas de atuação.

Diante disso, vem a público informar que estão sendo tomadas as providências legais e institucionais, junto aos órgãos competentes, em busca de negociar que tais medidas não impliquem em prejuízos à população e à categoria médica.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Ceará

Close